Mundo
Publicado em 07/08/2017 às 10:17 - Autor:

Coreia do Norte promete se vingar dos EUA por novas sanções

FILE PHOTO: A Terminal High Altitude Area Defense (THAAD) interceptor is launched during a successful intercept test, in this undated handout photo provided by the U.S. Department of Defense, Missile Defense Agency.  U.S. Department of Defense, Missile Defense Agency/Handout via Reuters/File Photo    ATTENTION EDITORS - THIS IMAGE HAS BEEN SUPPLIED BY A THIRD PARTY. IT IS DISTRIBUTED, EXACTLY AS RECEIVED BY REUTERS, AS A SERVICE TO CLIENTS

Após ser alvo de mais sanções econômicas da Organização das Nações Unidas (ONU), o governo da Coreia do Norte afirmou que sua “vingança” contra a entidade e os Estados Unidos será “mil vezes maior”.
Em um comunicado, divulgado pela emissora estatal “KCNA”, Pyongyang destacou ainda que é alvo de um “odioso complô dos EUA para isolar e sufocar” o país porque as novas sanções são uma “violenta violação de nossa soberania”.

O documento ainda afirma que a aplicação do novo pacote de punições “não vai fazer nunca” com que os norte-coreanos reduzam seu programa nuclear. A reação dos norte-coreanos ocorre pouco depois das Nações Unidas ter adotado novas sanções contra o país por unanimidade.

No sábado (5), o Conselho de Segurança decidiu impor mais punições por conta dos dois novos testes balísticos feitos pelo ditador Kim Jong-un. Até mesmo a China, que não aceita normalmente esse tipo de sanção, firmou o pedido que impede as exportações norte-coreanas de carvão, ferro, chumbo, minério de ferro e de chumbo e frutos do mar. Estima-se que esses cortes gerem a queda de um terço das exportações do país, em valor estimado em US$ 1 bilhão em negócios.

O texto com as novas sanções foi apresentado pelos Estados Unidos. No entanto, os chineses ressaltaram que esse tipo de punição não deve ser a única medida tomada contra o regime norte-coreano e que a entidade precisa estudar como resolver a crise norte-coreana.

Declaração dos EUA e Coreia do Sul
No fim da noite deste domingo (6), após uma conversa por telefone entre os presidentes dos Estados Unidos e da Coreia do Sul, Donald Trump e Moon Jae-in emitiram uma nota conjunta acusando Pyongyang de serem um problema para o mundo.
“A Coreia do Norte representa uma crescente ameaça, séria e direta, contra os Estados Unidos, a Coreia do Sul e o Japão, assim como contra grande parte dos países do mundo”, informam os dois presidentes.

Já o secretário de Estado norte-americano, Rex Tillerson, destacou que o melhor sinal que os norte-coreanos podem dar para o mundo e para negociar com os EUA é parando com os testes de lançamento de mísseis balísticos.

Gnews

Comentários